sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Santana do Cariri - CE - "Agradeço o bom Deus por ter frequentado o Seminário naquele tempo, com aquela formação forte, espartana, mas construtiva" Faleceu ontem Mons. Vitaliano Mattioli, sacerdote italiano, missionário no Ceará, que há anos colaborava com ZENIT!

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira

Faleceu ontem, 4 de dezembro, na cidade de Recife (PE), em consequência de uma delicada cirurgia cardíaca, um nobre e santo colaborador de ZENIT, mons. Vitaliano Mattioli, na idade de 76 anos.
Nascido em Roma (1938) Vitaliano ingressou no seminário menor. Como ele mesmo dizia “Agradeço o bom Deus por ter frequentado o Seminário naquele tempo, com aquela formação forte, espartana, mas construtiva”.
Durante mais de 40 anos esteve no meio acadêmico, onde foi Vice-Reitor do Colégio Santo Apolinare para adolescentes, e professor de Teologia Moral na Pontifícia Universidade Urbaniana, em Roma. “Sempre desejei ter os pés no chão. É por isso que eu pedi para colaborar com uma paróquia em Roma, na região leste da cidade, que durou quarenta anos”, disse uma vez a ZENIT monsenhor Vitaliano.
Em sua atividade pastoral colocou atenção especial aos jovens que se aproximavam do sacramento do matrimônio. Dizia aos jovens que “o difícil não é casar, mas continuar na vida matrimonial”; e sempre se mostrou um sacerdote disponível para ajudar os casais em momentos de dificultades. Dizia: “O importante é que, nestes momentos de SOS, o sacerdote esteja sempre disponível. Deve encontrar tempo para estar. Muitos casais salvaram o seu casamento justamente por causa desta atenção e disponibilidade pastoral”.
A diocese de Crato, no Ceará, emitiu ontem uma nota de pesar pelo falecimento desse homem de Deus, “exemplo de sacerdote santo, zeloso, humilde e ajuizado”.
Na nota, assinada pelo bispo de Crato, Dom Fernando Panico, M.S.C, se destaca o grande espírito missionário que animou a vida de Mons. Vitaliano, o qual “Sobrevindo o tempo da aposentadoria, ao invés de usufruir o merecido repouso das lidas diárias no campo da educação, quis coroar um antigo sonho desde os tempos de seminário: ser missionário a serviço da Igreja na América Latina”.
Como postulador da causa de beatificação da jovem benigna, de Santana do Cariri, conhecida como a mártir da castidade, hoje mons. Mattioli se encontrou com ela pessoalmente, aquela que segundo ele mesmo, esperançoso para que a Igreja reconheça o martírio de Benigna e possa beatificá-la, “Seria a primeira beata mártir do Ceará”, afirmou em artigo que escreveu para zenit quando da conclusão do processo diocesano.
Toda a redação de ZENIT e também os nossos leitores elevam hoje a Deus uma oração pelo eterno descanso de Mons. Vitaliano, sacerdote que deixou muitas saudades por onde passou, porque passou realmente fazendo o bem às almas.
 Em breve publicaremos o seu último texto, enviado pouco antes da sua intervenção cirúrgica.
Créditos: ZENIT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário