sábado, 26 de maio de 2012

Restos mortais de Benigna vão para Igreja Matriz!


Como parte do processo de beatificação da Menina Benigna, seus restos mortais ficarão na Igreja de Santana
Santana do Cariri Os restos mortais da jovem Benigna Cardoso da Silva serão sepultados no final da tarde de hoje, na Paróquia de Senhora Sant´Ana, neste Município. Uma grande romaria, com a previsão de participação de mais de cinco mil pessoas, percorre o Centro da cidade em louvor da "Heroína da castidade". Um processo em prol da beatificação de Benigna foi aberto pela Diocese do Crato, e todos os dados para encaminhamento junto ao Vaticano estão sendo levantados. Um deles envolve a mudança dos restos mortais de Benigna, assassinada a golpes de facão há mais de 70 anos, aos 13 anos de idade, e sepultada no Cemitério São Miguel. O caso de Benigna poderá se tornar o primeiro de beatificação no Ceará.

O martírio vivido por Benigna passou a chamar a atenção, desde a sua morte, quando começaram a acontecer casos de milagres, atribuídos a ela. Em mais de sete décadas depois, se multiplicam os casos e aumentam as romarias na cidade, para conhecer o santuário feito em seu nome. Assassinada de forma bárbara, aos 13 anos, ela é considerada santa pela população e passou a ter a atenção da Igreja Católica e da própria comunidade, que se manifesta em favor da sua beatificação. Benigna foi morta por Raul Alves Ribeiro, um jovem da mesma idade que sentiu por Benigna uma paixão obsessiva e tentou possuí-la à força. Não alcançado o seu objetivo, foi tomado por uma fúria, ao ponto se assassiná-la.

Toda a biografia, casos de milagres relatados, os passos antes de morte e o acontecimento estão em uma biografia de mais de 150 páginas, além de depoimentos de irmãs de criação. "Todo esse material será encaminhado para Vaticano. "Esperamos agora a abertura do processo, e estamos na busca de todos os documentos necessários", diz ele.

Um dos documentos que devem ser anexados ao processo, que tem a frente o monsenhor Vitaliano Mattiolli, postulador da causa de beatificação e representante da Diocese de Crato, é o processo de condenação de Raul. Buscas estão sendo realizadas pra reaver esse material. O monsenhor acompanhou a cerimônia de exumação dos restos mortais de Benigna, juntamente com familiares da menina, além do pároco Paulo Lemos.

Para o sacerdote, esse é um momento de grande importância em prol da beatificação da jovem Benigna Cardoso. Na ocasião, será feito o translado dos restos mortais. A solenidade culminará com a missa, às 17 horas, no pátio da Igreja.

O encaminhamento do processo passou a ser divulgado de forma mais ampla, a partir do primeiro dia deste ano, pela paróquia de Senhora Santana. O compromisso, segundo o padre, iniciou com o processo de divulgação e intensificação da causa, em rezar a oração pela beatificação de Benigna, elaborada pela Diocese de Crato. A oração tem sido rezada em todas as comunidades, conforme pedido do bispo diocesano dom Fernando Panico. "Aos poucos queremos difundí-la em outras paróquias" afirma. Depois disso, a Diocese começou um trabalho, reunindo diversos estudiosos numa comissão, para elaborar um perfil mais completo de Benigna, dentro de seu contexto da época e de sua fama de santidade até os dias de hoje.

Também foi lançado um CD em homenagem a Benigna, contendo pequeno histórico, hinos e a oração. E a grande aceitação do material, conforme a Igreja, aconteceu não apenas no Município, mas em outras localidades. Vários grupos de outras cidades estão sendo organizados para se unirem à população de Santana. Também no mês de abril, a Paróquia deu início a uma série de peregrinações pelas comunidades de Santana, com dois objetos de devoção que pertenceram a Benigna, uma bíblia e um terço. "Alegria, emoção, fervor, meditação, depoimentos de graças alcançadas fizeram parte destes momentos celebrativos que vem aumentando o fervor desta paróquia", diz o padre.

O morador de Santana do Cariri e um dos personagens que tem lutado em prol da beatificação de Benigna, Sandro Cidrão, é também um dos grandes devotos que divulga o drama vivido por Benigna. Sua mãe fez uma promessa para o menino que vivia doente ficar curado. Para ela, uma nova vida nasceu. E justo um dos frutos das graças alcançadas tem sido um dos principais agentes para descrever os milagres da menina. A cura de Cidrão é um dos casos relatado no documento que será encaminhado ao Vaticano.

FIQUE POR DENTRO

Jovem ficou órfã ainda na infância

Benigna Cardoso da Silva nasceu no dia 15 de outubro de 1928, em Santana do Cariri, extremo sul do Ceará, ao sopé da Chapada do Araripe. Filha de José Cardoso da Silva e Thereza Maria da Silva, ficou órfã de pai e mãe muito nova, juntamente com seus três irmãos mais velhos. Benigna, que era a mais nova dos quatro irmãos, foi criada pelas senhoras Rosa e Honorina Sisnando Leite, filhas de Leonor e Cirineu Sisnando, proprietários do Sítio Oiti, próximo ao Povoado de Inhumas. Nesse local, ela passou toda sua infância. Já crescida, depois de frequentar a escola, ajudava nos afazeres domésticos, haja visto que as duas senhoras que a adotaram eram doentes. Rosa era quase cega, e Honorina, asmática. O pote que ela carregava no momento em que foi assassinada está envolto a uma redoma de vidro, com esculturas que retratam o momento em que era morta por Raul Alves, de 13 anos, que foi preso e cumpriu pena.

Mais informações:
Paróquia Senhora Sant´Ana
Rua Padre Cristiano, 304
Santana do Cariri (CE)
Região Sul do Estado
Telefone: (88) 3545.1485

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário