terça-feira, 30 de junho de 2020

HOMENAGEM A SERVA DE DEUS - BENIGNA CARDOSO




GRAÇA ALCANÇADA

Homenagem a Serva de Deus Benigna Cardoso, com hino da Irmã Míria T. Kolling, cantado pela Santanense Cristiane Benigna que mora em São Paulo. 

A mesma recebeu o nome da venerável Benigna devido uma graça alcançada.

Confira no vídeo, tendo como fonte: https://www.facebook.com/servaBenigna/?epa=SEARCH_BOX


segunda-feira, 22 de junho de 2020

CARTA AO POVO DE DEUS – POR DOM GILBERTO PASTANA




Juntamente com o Conselho Presbiteral, o bispo Dom Gilberto Pastana  emitiu no último sábado (20) uma carta mensagem ao Povo de Deus da Diocese de Crato. 



Para os devotos da Jovem Benigna são orientações importantes, onde todos possam compreender a realidade atual em que se encontra a sociedade e a vida eclesial.

Incialmente a carta expressa um zelo eclesial pelo povo de Deus: “Com ternura e solicitude pastoral, vimos nos dirigir a todos quantos fazem a nossa Igreja em toda a Diocese de Crato: paróquias, capelas, comunidades e famílias. Sempre mais rendamos graças a Deus e cresçamos em comunhão e participação buscando viver a Alegria do Evangelho. É certo que estamos atravessando um contexto particularmente difícil e desafiante por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), que tem semeado medo, inquietações, sofrimentos, mortes e muita insegurança.”


                                                                                                               
A mensagem se destaca em pontos essenciais informativo e de agradecimento para que os fieis devotos da Jovem Benigna como também a Igreja Povo de Deus de Santana do Cariri possam exercerem na vida cotidiana os cuidados necessários nesse tempo da pandemia do COVID-19:

1.      Esperança e confiança em “Deus
2.      Como missão, a defesa e a promoção da vida.
3.      Semear em todas as ocasiões os valores do Evangelho,
4.      Incentivo ao respeito, o diálogo e a solidariedade,
5.      Construir uma sociedade mais justa, fraterna, ética, democrática, cuidadora da Casa Comum.
6.      Comprometimento com os pequenos e pobres.
7.      Permanente atitude de diálogo sincero e colaborativo com as autoridades sanitárias, com o Ministério da Saúde e os Governos na prevenção do contágio da COVID-19. 
8.      Segura convicção que nada pode e nem deve substituir a vida sacramental e litúrgica.
9.      Dever de manter as restrições em relação às celebrações públicas e outras ações litúrgicas e pastorais.
10.  Atenção responsável e cuidadosa,
11.  Servir-se dos Meios de comunicação e das Redes Sociais, instrumentos valiosos para levar a mensagem cristã,
12.  Motivar a vida da “igreja doméstica”,
13.  Fortalecer a prática da oração pessoal e familiar, assim como
14.  Incentivar os gestos de partilha e solidariedade.
15.  Perceber que “Igreja está viva e vem atuando com criatividade e boa vontade, a fim de alimentar a chama da fé, da esperança e da caridade,”

Nenhuma descrição de foto disponível.
16.  Atenção a Campanha “É tempo de cuidar”, estimulando solidariedade, doações e apoio religioso e emocional.
17.  Palavra de solidariedade e alento aos doentes, aos fragilizados e particularmente às famílias que perderam membros queridos vitimados pela COVID-19, como também aos profissionais de saúde, que combatem em linha de frente buscando salvar preciosas vidas.
18.  Gratidão pela fidelidade dos fiéis ao Dízimo e outras partilhas nas Paróquias e Comunidades,
19.  Colaborem com as medidas sanitárias, com o distanciamento social, esforçando-se para permanecer o mais possível em casa,
20.  Bom senso e paciência para que, o quanto antes, possamos vencer essa difícil situação que se abateu sobre a humanidade. Contem com a nossa profunda estima, oração e comunhão fraterna.


A mensagem vem assinada por dom Gilberto Pastana e os membros do Conselho Presbiteral. Confira na integra:




                                           DIOCESE DE CRATO
                                                          Regional NE 1 da CNBB

CARTA AO POVO DE DEUS DA DIOCESE DE CRATO POR OCASIÃO DA PANDEMIA

“A vós todos, amados de Deus e chamados à santidade, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo” (Rm 1,7).
        
            Com ternura e solicitude pastoral, vimos nos dirigir a todos quantos fazem a nossa Igreja em toda a Diocese de Crato: paróquias, capelas, comunidades e famílias. Sempre mais rendamos graças a Deus e cresçamos em comunhão e participação buscando viver a Alegria do Evangelho. É certo que estamos atravessando um contexto particularmente difícil e desafiante por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), que tem semeado medo, inquietações, sofrimentos, mortes e muita insegurança.
Antes de tudo, queremos reafirmar nossa esperança e confiança em “Deus, rico em misericórdia” (Ef 2,4), que sempre nos consola em todas as dificuldades e tribulações. A Igreja tem como parte integral e essencial de sua missão a defesa e a promoção da vida. Buscamos semear em todas as ocasiões os valores do Evangelho, incentivando o respeito, o diálogo e a solidariedade, a fim de construirmos uma sociedade mais justa, fraterna, ética, democrática, cuidadora da Casa Comum e, portanto, mais comprometida com os pequenos e pobres. Por tais motivos, seguindo as orientações do Papa Francisco, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), mantemos uma permanente atitude de diálogo sincero e colaborativo com as autoridades sanitárias, com o Ministério da Saúde e os Governos na prevenção do contágio da COVID-19. 

Assim, acompanhando a situação de cada novo dia em nosso Estado do Ceará e,
particularmente no território da Diocese de Crato, temos a clareza de que ainda é necessário um pouco mais de tempo até que alcancemos o integral restabelecimento da vida eclesial de nossas comunidades. É segura a nossa convicção que nada pode e nem deve substituir a vida sacramental e litúrgica. Porém, por motivo de cautela, frente à disseminação do contágio do coronavírus e do significativo aumento de óbitos, sentimo-nos no dever de manter as restrições em relação às celebrações públicas e outras ações litúrgicas e pastorais. Entendemos que esta atitude representa atenção responsável e cuidadosa, mesmo que cause sofrimento espiritual, estranheza e limitações não desejáveis.

O nosso caminho ainda é servir-nos dos Meios de comunicação e das Redes Sociais que têm grande abrangência e, seguramente, são instrumentos valiosos para levar a mensagem cristã, motivar a vida da “igreja doméstica”, fortalecer a prática da oração pessoal e familiar, assim como incentivar os gestos de partilha e solidariedade. A Igreja está viva e vem atuando com criatividade e boa vontade, a fim de alimentar a chama da fé, da esperança e da caridade, a exemplo dessa atitude foi lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Cáritas Brasileira a campanha “É tempo de cuidar”, estimulando solidariedade, doações e apoio religioso e emocional. Muitíssimas outras iniciativas bonitas e gestos dessa natureza estão sendo realizados em caráter local. 
Gostaríamos também de, no espírito de Jesus, o Bom Pastor, o Crucificado Ressuscitado, levar uma palavra de solidariedade e alento aos doentes, aos fragilizados e particularmente às famílias que perderam membros queridos vitimados pela COVID-19, como também aos profissionais de saúde, que combatem em linha de frente buscando salvar preciosas vidas. Que Deus guarde e abençoe a todos e a todas.

Para finalizar a presente mensagem, expressamos a mais viva gratidão pela fidelidade dos fiéis ao Dízimo e outras partilhas nas Paróquias e Comunidades, sinais evidentes de compromisso e valorização do nosso “ser Igreja”: Comunhão de Comunidades. Vimos ainda também pedir encarecidamente, que todos colaborem com as medidas sanitárias, com o distanciamento social, esforçando-se para permanecer o mais possível em casa, usando de bom senso e paciência para que, o quanto antes, possamos vencer essa difícil situação que se abateu sobre a humanidade. Contem com a nossa profunda estima, oração e comunhão fraterna. Que Nossa Senhora da Penha, Padroeira da Diocese, a quem invocamos como Mãe do Belo Amor, Saúde dos enfermos e Rainha da Paz, juntamente com São José e com todos os Santos e Santas Padroeiros de nossas Paróquias intercedam pela superação desse mal, em vista do bem dos seres humanos e da maior glória de Deus. 

Crato, 20 de junho de 2020.




Dom Gilberto Pastana de Oliveira
         Bispo  Diocesano